Brasil, Inglaterra e Macedônia conectados pela música da Itapema

26.05.2020 | 08h55 - Atualizada em: 26.05.2020 | 08h53
Marina Martini Lopes
Por Marina Martini Lopes
Editora
O objetivo do contato de Laura foi contar uma história que ilustra bem um dos lemas que temos por aqui: o que toca no mundo, toca na Itapema

BLOG

Mundo Itapema

O relato de uma ouvinte mostra que a música da emissora "gira o mundo"

De vez em quando, nós, da equipe Itapema, somos surpreendidos por histórias contadas espontaneamente por nossos ouvintes - dos mais variados lugares do mundo. Na última semana, recebemos um relato enviado por Laura Wilke Gómez: nascida em Porto Alegre (RS), essa jornalista vive há seis anos na Inglaterra; mas também já passou uma temporada morando aqui mesmo em Florianópolis (SC), mais especificamente na Lagoa da Conceição. E, daqui, levou para seu novo lar uma paixão: a Itapema.

"Ela é completamente diferente das demais rádios que eu ouvia; em estilo, proposta, programação, approach e público", narra Laura, sobre o que pensou quando descobriu a emissora. "Estou falando de tempos sem Spotify e sem stream de rádios pelo mundo!"

O objetivo do contato de Laura foi contar uma história que ilustra bem um dos lemas que temos por aqui: o que toca no mundo, toca na Itapema. Ela narra:

"Aqui em Manchester, onde moro, tenho um amigo que é da República da Macedônia. Onde fica a República da Macedônia? No mundo. Na península balcânica, no sudeste da Europa, pertinho da Grécia. Dia desses, antes do isolamento, estávamos em minha casa tomando um chá (of course!), batendo papo e ouvindo a Itapema - sim, ele adora músicas do mundo e sempre se interessa em saber o que estou escutando. Quando, de repente, entra uma das vinhetas, e ele diz: 'Acho que conheço essa música!'. 'Mesmo? Acho difícil!', provoquei. E nisso ele fala: 'Essa música é da Macedônia!'"

Ou seja, na casa de uma brasileira em Manchester, na Inglaterra, um nativo da República da Macedônia reconheceu uma música de seu país, tocada por uma rádio de Florianópolis, Brasil - ou 10 segundinhos dela, usados em uma de nossas vinhetas. A canção é Stojne bre mome kocansko, de Kiril Dzajkovski e Vanja Lazarova:

"Impossível listar tudo o que surpreende na rádio em matéria de vanguarda, clássicos e novidades!", diz Laura. "É visível o esforço e trabalho permanente de atualização, pesquisa e, por quê não?, vanguarda para trazer aos ouvintes a nata da música do mundo: de Elis Regina a Tori Amos, passando por Goldfrapp, entre outros."

Esperamos que a música da Itapema continue girando o mundo - e conectando os mundos de diversos ouvintes ao redor do globo!

Matérias Relacionadas