Depois de Veneza, "Nomadland" vence principal prêmio do Festival de Toronto

21.09.2020 | 11h19
Por Folhapress
Nomadland

BLOG

Universo Compartilhado

"Nomadland" abocanhou o People's Choice Award, honraria máxima do evento canadense

O Festival de Toronto encerrou neste domingo (20) sua 45ª edição coroando "Nomadland" como seu grande vencedor - e solidificando as chances de o filme da diretora chinesa Chloé Zhao chegar à próxima edição do Oscar. Produção americana, "Nomadland" abocanhou o People's Choice Award, honraria máxima do evento canadense, dias depois de receber o Leão de Ouro no Festival de Veneza. Ele é o primeiro título a levar os dois prêmios.

Agora, a presença da trama e de sua protagonista, a atriz Frances McDormand, no Oscar do ano que vem são vistas como certas. Afinal, Toronto tem um histórico de prever indicados na categoria de melhor filme da premiação hollywoodiana - isso já vem acontecendo há oito anos. Em 2019, por exemplo, seu grande vencedor foi "Jojo Rabbit", que mais tarde chegou com força ao Oscar.

Depois de "Nomadland", o segundo lugar do Festival de Toronto ficou com Regina King e seu "One Night in Miami", enquanto o terceiro foi para "Beans", de Tracey Deer. Os três grandes vencedores desta edição foram dirigidos por mulheres, bem como os filmes escolhidos nas seções de documentário e na Midnight Madness. Na primeira, o escolhido foi "Inconvenient Indian", de Michelle Latimer, enquanto o favorito da Midnight Madness, dedicada a longas underground e com ares cult, foi "Shadow in the Cloud", de Roseanne Liang.

Os filmes vitoriosos citados, incluindo "Nomadland", ainda não têm previsão de estreia no Brasil. Confira abaixo os escolhidos nas premiações paralelas do Festival de Toronto deste ano:

- Changemaker Award

"Black Bodies", de Kelly Fyffe-Marshall

- Amplify Voices Awards

"Inconvenient Indian", de Michelle Latimer (melhor filme canadense)

"Fauna", de Nicolás Pereda (menção especial para filme canadense)

"The Disciple", de Chaitanya Tamhane "Night of the Kings", de Philippe Lacôte

"Downstream to Kinshasa", de Dieudo Hamadi (menção especial)

- Prêmio da Federação Internacional de Críticos de Cinema (FIPRESCI)

"Beginning", de Dea Kulumbegashvili

- Prêmio da Rede para a Promoção do Cinema Ásia-Pacífico (NETPAC)

"Gaza Mon Amour", de Arab Nasser

Matérias Relacionadas