Desaparecimento de Amelia Earhart, pioneira da aviação, será investigado mais uma vez

Marina Martini Lopes
Por Marina Martini Lopes
Editora
A aviadora Amelia Earhart

BLOG

Mundo Itapema

As buscas são lideradas por Robert Ballard, que em 1985 encontrou o Titanic

O mistério a respeito do que aconteceu com a pioneira da aviação Amelia Earhart está sendo investigado mais uma vez. Robert Ballard, explorador que encontrou o Titanic em 1985, agora se dedica a procurar pelo avião que Earhart pilotava quando desapareceu, um Lockheed Electra 10E. A busca começou no último dia 7 de agosto, e é patrocinada pela National Geographic.

Earhart - primeira mulher a voar sozinha sobre o Oceano Atlântico - desapareceu perto da Ilha Howland, no Oceano Pacífico, em 1937, enquanto tentava realizar um voo ao redor do globo, e foi declarada morta dois anos depois, em 1939. Diversas buscas pelo avião já foram feitas desde então.

"Há muitas teorias a respeito de onde o avião pousou, ou caiu", disse Ballard, em uma entrevista divulgada pela própria National Geographic nesta semana. O investigador e sua equipe decidiram começar pela suposição de que, ao tentar pousar na pequenina Ilha Howland, Earhart teria acabado sendo obrigada a pousar em Nikumaroro, outra ilha próxima. A própria Nikumakoro já foi investigada nada menos que treze vezes, mas o time de Ballard conta com tecnologias recentes que podem encontrar evidências até então impossíveis de rastrear - como sonares, câmeras de altíssima definição, drones e veículos operados remotamente.

A história da investigação - seja ela bem ou mal sucedida - vai virar um documentário de duas horas na National Geographic, Expedition Amelia. A previsão de estreia é para 20 de outubro.

Matérias Relacionadas