Disney+, HBO Max e mais: novas plataformas de streaming ameaçam soberania da Netflix

02.09.2019 | 08h15
Anna Rios
Por Anna Rios
Assinantes de serviços de streaming ganham novas opções nos próximos anos

BLOG

Universo Compartilhado

Grandes conglomerados e empresas de tecnologia apostam alto no mercado de vídeo on demand

Por GaúchaZH

O tempo em que Netflix era sinônimo de streaming pode estar ficando para trás. Nascida em 1997 na costa oeste dos Estados Unidos, no Scotts Valley — a apenas 55 quilômetros de distância de outro vale californiano bem mais famoso, o do Silício —, a empresa viu sua ideia de disponibilizar filmes e séries online a um preço acessível crescer ao ponto de colocá-la na mira das gigantes de tecnologia e entretenimento.

Amazon, Apple e AT&T são algumas das companhias que resolveram disputar o mercado de streaming (ficando apenas na letra "A"). Depois de popularizar a ideia de venda de assinaturas para uma plataforma de vídeo on demand, a Netflix vê agora sua cartela de mais de 150 milhões de clientes mundo afora ser ameaçada frente a adversários como a Disney, que controla um império midiático composto por marcas como Pixar, Marvel, Star Wars e National Geographic.

E a casa de Mickey Mouse deve vir com tudo: durante a D23 Expo, realizada entre 23 e 26 de agosto em Anaheim, eles anunciaram mais de 20 títulos exclusivos para sua nova plataforma, o Disney +, que chega em novembro ao público norte-americano. 
Os lançamentos incluem novas aventuras do Jedi Obi-wan, do deus da trapaça Loki (interpretado por Tom Hiddleston), da Feiticeira Escarlate (Elizabeth Olsen), além de obras inéditas com os personagens de Monstros S.A., uma nova versão de High School Musical e o live-action de A Dama e o Vagabundo. Tudo por US$ 6,99 ao mês — cerca de R$ 30.

Robert A. Iger, CEO da The Walt Disney Company, declarou no anúncio do novo serviço de streaming (ainda em abril) que a biblioteca da companhia é “um tesouro de conteúdo valioso e duradouro”, que “ nenhuma outra empresa de tecnologia pode rivalizar”.

— É importante lembrá-los de que estamos começando em uma posição de força, confiança e otimismo desenfreado — afirmou Iger.

Friends em novo endereço

Uma das sitcoms mais populares da internet migra da Netflix para a HBO MaxFoto: Divulgação

Nos EUA, os primeiros sinais do fim da dinastia netflixiana começaram a ser sentidos. Após abrir mão de US$ 100 milhões no início deste ano para manter Friends sob seu domínio, em julho a empresa anunciou que as 10 temporadas da sitcom vão se despedir do catálogo a partir de 2020. O motivo: a WarnerMedia (dona dos direitos da série) vai utilizar o show como carro-chefe de sua própria plataforma, intitulada HBO Max.

O conglomerado, controlado pela AT&T (uma das grandes provedoras de serviços de telecomunicação dos Estados Unidos), mantém sob seu guarda-chuva HBO, WarnerBros, TNT, DC Entertainment, New Line Cinema, TBS, Boomerang, Cartoon Network, CNN, Tru TV, entre outros estúdios. Na prática, isso significa um catálogo com shows de forte apelo popular, como Game of Thrones, Harry Potter, O Senhor dos Anéis, Big Little Lies, Um Maluco no Pedaço e Família Soprano.

Também em julho, o site The Verge divulgou que, pela primeira vez desde 2011, a Netflix perdeu assinantes no mercado norte-americano, com cerca de 126 mil cancelamentos no segundo trimestre de 2019. Em carta aos acionistas, a empresa apontou o aumento das mensalidades como um dos principais fatores para a queda — mas ainda é especulado o quanto a oportunidade de migrar para outros serviços interferiu nos resultados.

Em meio à disputa cada vez mais acirrada, a companhia busca refúgio em seus títulos originais — naturalmente exclusivos. Após ser destaque no Oscar de 2018 com Roma, a próxima aposta cinematográfica da plataforma é O Irlandês, assinado por Martin Scorsese, com um elenco que reúne Al Pacino, Robert De Niro e Joe Pesci. No terreno das séries, onde já emplacou diversos hits, a Netflix procura manter o público fiel com continuações de Stranger Things, La Casa de Papel, Orange is the New Black e The Crown, entre outras. Com um investimento que ultrapassou os US$ 10 bilhões neste tipo de conteúdo, em 2018, ainda não está claro se será o suficiente para manter a empresa entre as grandes do streaming.

As opções do mundo do streaming

Amazon Prime Video

Michael Sheen e David Tennant na série original da Amazon "Good Omens"Foto: Divulgação

Há três anos no mercado brasileiro, a Amazon traz em seu catálogo séries originais de sucesso como The Marvelous Mrs. Maisel, vencedora de quatro prêmios Emmy em 2018, incluindo melhor série de comédia; Fleabag, indicada em quatro categorias da premiação deste ano; e Homecoming, estrelada por Julia Roberts. Entre os últimos lançamentos da plataforma, ainda está a sátira do universo de super-heróis The Boys e a adaptação do livro apocalíptico Good Omens, de Neil Gaiman e Terry Pratchett. 

  • Site: primevideo.com
  • Preço: R$ 14,90/mês

Apple TV+

Com o lançamento previsto para o segundo semestre de 2019, mas sem maiores informações sobre datas, a Apple não mediu esforços para trazer uma constelação de estrelas para seu serviço de streaming: Steven Spielberg, J.J. Abrams, Oprah Winfrey, Reese Witherspoon, Jennifer Aniston, M. Night Shyamalan e Jason Momoa são alguns dos nomes que vão assinar conteúdo exclusivo da companhia. 

  • Site: apple.com/br/apple-tv-plus 
  • Preço: não divulgado

Disney +

Disponível a partir de 12 de novembro nos EUA (a previsão de chegada na América Latina é para 2020), o Disney+ promete atacar as concorrentes em duas frentes: a partir de um acervo que reúne clássicos de diferentes gerações e grandes sucessos dos últimos anos, como Vingadores Star Wars, o serviço também lançará séries e filmes exclusivos  para os assinantes digitais.

  • Site:  preview.disneyplus.com/br 
  • Preço: US$ 6,99 ao mês — cerca de R$ 30

Globoplay

Eduardo Sterblitch e Tatá Werneck em "Shippados", série exclusiva do GloboplayFoto: Divulgação

Em território nacional, a Rede Globo também investe no streaming. Lançado em 2015, o Globoplay disponibiliza em seu catálogo a programação da emissora, além de conteúdo original como Sessão de Terapia, com Selton Mello e Morena Baccarin, e Shippados, com Tatá Werneck e Eduardo Sterblitch. O serviço também conta com filmes e séries estrangeiras, como The Handmaid's Tale, Killing Eve e The Good Doctor.

  • Site: globoplay.globo.com 
  • Preço: R$19,90/mês

HBO Max

O HBO Max, a ser lançado na primavera de 2020 nos EUA, deve reunir em um só catálogo as marcas do conglomerado WarnerMedia, que contém estúdios como o New Line Cinema, HBO, The CW, Warner Bros, Cartoon Network, Boomerang, CNN, DC Comics e Esporte Interativo, entre outros. 

  • Site: warnermediagroup.com
  • Preço: não divulgado

Netflix

A nostalgia embala o sucesso de "Stranger Things", um dos carros chefes da NetflixFoto: Divulgação

Ainda a maior referência no mercado de streaming, a Netflix traz em seu catálogo inúmeras produções, entre filmes, documentários, especiais, séries, desenhos e animes, além de estreias semanais de novo conteúdo. Entre os títulos populares estão Stranger Things, The Good Place, La Casa de Papel Orange is The New Black.

  • Site: netflix.com 
  • Preço: planos entre R$ 21,90 a R$ 45,90/mês

Matérias Relacionadas