Herbie Hancock: álbum dedicado a Martin Luther King é relançado pela Blue Note

31.03.2020 | 08h01 - Atualizada em: 01.04.2020 | 02h01
Leonardo Souza
Por Leonardo Souza
HH01 Divulgação

BLOG

Giramundo

Gravado e lançado em 1969, o último álbum pelo selo Blue Note de Herbie Hancock, "The Prisoner", é uma obra-prima poderosa, mas esquecida. Um tributo ao Dr. Martin Luther King, o trabalho apresenta alguns dos instrumentistas mais excepcionais do jazz.

O virtuoso pianista nascido em Chicago, que havia acabado de deixar o quinteto inovador de Miles Davis quando gravou "The Prisoner", não havia feito um álbum com temas políticos antes, mas o chocante assassinato do líder dos direitos civis Martin Luther King Jr. em 1968, o inspirou a fazer um álbum que cristalizou seus pensamentos sobre o ocorrido, além de expressar os sentimentos pela pátria consternada. Em três sessões, realizadas no Van Gelder Studio em 18, 21 e 23 de abril de 1969, o mestre americano do jazz reuniu Joe Henderson, Johnny Coles, Hubert Laws, Garnett Brown, Buster Williams e Albert "Tootie" Heath, gravou essas ideias e abriu novos caminhos criativos.

HH02Imagem: Divulgação

"The Prisoner" é o sétimo álbum de Herbie Hancock, lançado e gravado originalmente em 1969, dedicado à memória de Martin Luther King. Como seu ambicioso antecessor, "Speak Like a Child", "The Prisoner" pretende permanecer como uma "declaração social escrita através da música".  A faixa-título foi ouvida ao vivo pela primeira vez em 1968, durante uma apresentação no Festival de Jazz da Universidade da Califórnia.

Ao lançar o álbum, a Blue Note Records possibilitou o primeiro passo na tentativa de Hancock pela liberdade musical e criativa. Apesar disso, foi o último registro que o pianista gravou para o selo. No ano seguinte ele lançou um novo disco pela Warner Bros, onde criou algumas das músicas mais aventureiras de sua carreira com a banda Mwandishi. Mas foi só quando se juntou à Columbia em 1972 e começou a fundir jazz com funk que Hancock alcançou a aceitação popular que tanto desejava. A curiosidade que o levou até lá, no entanto, pode remeter ao "The Prisoner", um álbum em que Herbie Hancock encontrou a sensação de independência que o estimularia a fazer música sem limites.

Previsto pra sair em 17 de abril, a nova edição em vinil de "The Prisoner" já está disponível para pré-encomenda aqui.

Matérias Relacionadas