Gal Costa: "Eu acredito que qualquer pessoa, de qualquer idade ou preferência musical, pode gostar de 'A Pele do Futuro'"

06.08.2019 | 18h25 - Atualizada em: 09.08.2019 | 17h03
Marina Martini Lopes
Por Marina Martini Lopes
Editora
A cantora Gal Costa

BLOG

Mundo Itapema

Em entrevista à Itapema, a cantora falou sobre o show que apresenta em Floripa neste sábado (10) - e também sobre Maria Bethânia e Marília Mendonça

A Pele do Futuro, novo show de Gal Costa, segue em turnê nacional, e vem provocando surpresas em uma plateia cada vez mais jovem, além dos fieis seguidores da cantora. Neste sábado, dia 10 de agosto, o espetáculo chega a Florianópolis, para apresentação única no Centro de Eventos da UFSC, às 21h, com promoção da Itapema. Ingressos estão à venda no site Ingresso Nacional - sócios do Clube NSC têm 20% desconto na compra antecipada.

Desde 2011, quando surpreendeu a mídia e o público com o projeto Recanto, Gal Costa se expõe cada vez mais, mesclando um repertório contemporâneo que colocou de volta na linha de frente da música brasileira moderna. Marcus Preto, diretor do disco e show A Pele do Futuro, diz que no atual projeto de Gal "se fazem presentes e atuantes as galcostas de todos os tempos: fatais, legais, índias, tropicais, profanas, plurais, estratosféricas. De ontem e de além." A artista leva ao palco um feixe de canções que proporciona um diálogo entre os compositores da nova geração com alguns nomes da sua própria tribo: os temas são assinados por Caetano Veloso, Gilberto Gil, Silva, Dani Black, Djavan, Nando Reis, Jorge Mautner, Marilia Mendonça, Roberto e Erasmo Carlos, Dorival Caymmi, Moraes Moreira, Lupicínio Rodrigues, Ronaldo Bastos e César Lacerda, entre outros.

Em entrevista à Itapema, Gal falou sobre o show A Pele do Futuro e o disco que o inspira. Confira abaixo:

Itapema: Você é uma artista que já transitou por diversos estilos e gêneros musicais. A Pele do Futuro é inspirado na sonoridade dos anos 1970, com influências como soul, disco e black music. De onde veio a ideia e a vontade de gravar um álbum nesse estilo agora?
Gal Costa: Era um sonho antigo poder gravar com essa sonoridade disco music, com uma estética dos anos 1970. Eu acredito que qualquer pessoa, de qualquer idade ou preferência musical, pode gostar desse disco. Até mesmo quem não ouve muito minhas músicas. É um disco jovem.

Itapema: Assim como em Estratosférica, você trabalhou com diversos compositores, com mais ou menos tempo de carreira, que também vêm de estilos variados da música. Como você seleciona com quem vai fazer parcerias? Como foi trabalhar com esses artistas, e como essa variedade inspira o seu trabalho?
Gal Costa: Como sempre, em todos os meus discos, as músicas vão chegando, e o repertório vai tomando forma aos poucos. É como um quebra-cabeça. O Marcus Preto foi o responsável por ir em busca de músicas, pediu canções, e juntos ouvimos tudo o que ele garimpou. Algumas delas, no entanto, eu pedi diretamente, como no caso da música do Gilberto Gil e do Guilherme Arantes. Todas as canções foram mudadas, ganharam arranjos novos para seguir a linha da disco music.

Itapema: Você achou que algumas pessoas poderiam torcer o nariz para a participação da Marília Mendonça, que vem do sertanejo?
Gal Costa: Quando eu disse que gravaria com ela ouve uma reação contra e muita gente não gostou. Mas acontece que eu vejo nela uma cantora muito singular, diferenciada de todo esse estilo sertanejo. Ela tem uma maneira única de compor e cantar. Tem um talento enorme.

Itapema: Como foi voltar a gravar com Maria Bethânia? Como surgiu a ideia de chamá-la para um dueto?
Gal Costa: A música Mãe Menininha uniu a minha voz e a de Bethânia nos anos 1970. Nesse disco, resolvemos retomar esse encontro e cantar juntas, para nossas próprias mães, a música Minha Mãe, feita por Jorge Mautner e Cesar Lacerda. Bethânia é minha irmã da vida toda.

Itapema: Como é o show A Pele do Futuro? Como foi a seleção do repertório?
Gal Costa: Além das músicas do disco, eu escolhi alguns sucessos da minha carreira e trouxe todas elas para a sonoridade do álbum, com novos arranjos, para que haja uma unidade musical. Tem sido bonito ver a reação do público.

Serviço
Gal Costa no show "A Pele do Futuro"
Quando: Dia 10 de agosto, sábado, às 21h
Onde: Centro de Eventos da UFSC (Rua Eng. Agronômico Andrei Cristian Ferreira, 570 – Pantanal, Florianópolis)
Sócios do Clube NSC têm 20% desconto na compra do ingresso antecipado
Promoção: Itapema

Saiba quem ganhou ingressos para o show de Gal Costa. Clique aqui!

Matérias Relacionadas