"La Casa de Papel": por que assistir à terceira parte da série da Netflix?

Por Anna Rios
Professor (Álvaro Morte) comanda mais um roubo da trupe espanhola

BLOG

Universo Compartilhado

Nova fase estreia nesta sexta-feira (19)

Por GaúchaZH

Considerada uma das séries de maior sucesso do ano passado, La Casa de Papel deve manter sua popularidade com a terceira parte, que estreia nesta sexta-feira (19). O seriado - que foi adicionado ao catálogo da Netflix sem grandes pretensões - ganhou milhares de espectadores, memes e uma legião de fãs.

Se depender da plataforma de streaming, o sucesso do grupo que roubou a Casa da Moeda da Espanha deve continuar pelos próximos anos. 

Série de língua não inglesa mais vista

Netflix se orgulha deste título: as primeiras duas partes de La Casa de Papel e suas milhões de visualizações garantiram o posto de série de língua não inglesa mais vista da história da plataforma. Até agora, nenhuma produção conseguiu superá-la.

Mais orçamento

Em eventos de lançamento, os produtores confirmaram que a terceira parte de La Casa de Papel teve um orçamento maior em comparação aos episódios anteriores. A revista Variety foi além: ela cravou que La Casa de Papel 3 baterá o recorde de maior orçamento da história da TV espanhola. Considerando os primeiros vídeos divulgados, com locações em pontos diferentes, é bem provável que esta teoria seja verdadeira.

Locações 

Em um dos primeiros trailers, Rio e Tóquio aparecem curtindo o mar do Caribe. Depois, a Tailândia é o cenário da reunião do grupo. O seriado se passa em Madri, capital da Espanha. Ou seja, esta nova fase levará a trama a outros lugares: Reino Unido e Itália, além de várias cidades espanholas, também estão na lista.

Câmeras e ângulos

Considerando os primeiros episódios vistos por GaúchaZH, a parte técnica está anos-luz à frente das fases anteriores. Com mais orçamento, obviamente, a fotografia e a direção puderam trabalhar com mais câmeras e novos ângulos. Anteriormente, a equipe de produção foi reduzida e não conseguiu ousar muito.

Investimento da própria Netflix

Ok, parecemos um pouco insistentes neste tópico, mas La Casa de Papel 3 tem outro fato expressivo: é a primeira parte da série com investimento total da Netflix. A plataforma criou um estúdio cinematográfico de 1,2 mil metros quadrados em  Tres Cantos, nos subúrbios de Madri - sendo que apenas um dos espaços foi utilizado pela trama do Professor. 

Mais roubo por aí

Conforme antecipado, o grupo irá se reunir para assaltar o Banco Nacional da Espanha, com foco nas barras de ouro do local. Vocês pensaram que não teria perseguição, invasão e reféns? Pensaram errado!

Time de atores bem entrosado

Destaque da safra recente da produção espanhola, La Casa de Papel tem Alba Flores (que chamou atenção recentemente por Vis a Vis), Úrsula Corberó e Itziar Ituño (pelo drama Flores). Isso sem falar no time masculino: Miguel Hérran (de Elite), Jaime Lorente (também de Elite) e Álvaro Morte.

Berlim morto ou não?

Uma das questões que ficou em aberto na segunda parte de La Casa de Papel é sobre o futuro de Berlim (Pedro Alonso). Dado como morto, ele apareceu em alguns teasers e deixou muita gente em dúvida de qual seria a sua função nesta nova fase. Flashbacks? Só assistindo para ter certeza.

Romance no ar

Além do suspense de mais um roubo, o romance continua como gênero secundário de La Casa de Papel: depois de Rio e Tóquio, vemos novos casais ganhando força, como o Professor e a inspetora Raquel. 

Quarta parte confirmada

O melhor de tudo: não interessa qual seja o final, todos sabemos que haverá uma quarta parte, já confirmada pela Netflix. Ou seja, é provável que o enredo fique em aberto.

Matérias Relacionadas