Novo volume de coleção que revisita a obra de Bob Dylan relembra a "fase country" do músico

04.11.2019 | 13h10
Marina Martini Lopes
Por Marina Martini Lopes
Editora
A Bootleg Series já ganhou 15 volumes

BLOG

Mundo Itapema

Um dos pontos altos de "Travelin' Thru" é a parceria entre Dylan e Johnny Cash

A carreira de Bob Dylan já ultrapassou cinco décadas de duração - e a Columbia Records e a Legacy Recordings, esta última uma divisão da Sony Music, estão revisitando todo o extenso catálogo do músico na Bootleg Series, série de relançamentos e coletâneas que agora ganha mais um volume: é Bob Dylan (featuring Johnny Cash) - Travelin' Thru, 1967-1969: The Bootleg Series Vol. 15, que chegou às lojas na última sexta-feira, dia 1º de novembro. A novidade está disponível em formatos CD triplo, LP triplo e digital.

Como diz o nome, o ponto central do material são as viagens que Dylan fez a Nashville entre os anos de 1967 e 1969, ocasiões em que fez uma série de gravações com Johnny Cash - uma versão até agora inédita dos dois artistas cantando Wanted Man, aliás, foi liberada no final de outubro, divulgando o conteúdo. O ano de 1967 é considerado especialmente transformador na carreira de Dylan: depois de lançar uma trilogia de álbuns revolucionários entre 1965 e 1966 (Bringing It All Back Home, Highway 61 Revisited e Blonde On Blonde), o músico sofreu um acidente de moto (em julho de 1966) e passou um tempo afastado do público - para enfim retornar com uma abordagem minimalista; em que assumia violão/guitarra, vocal e gaita de boca e era acompanhado apenas por Charlie McCoy no baixo e Kenneth Buttrey na bateria. Até mesmo a voz de Dylan mudou perceptivelmente - e, para acalmar os críticos, o artista chegou a explicar que a mudança provavelmente se devia ao fato de ele ter parado de fumar.

Bob Dylan (featuring Johnny Cash) - Travelin' Thru, 1967-1969: The Bootleg Series Vol. 15Foto: Divulgação

Em uma entrevista concedida ao jornalista Matt Damsker, e reproduzida no material de divulgação de Travelin' Thru, Dylan explicou: "Eu não sabia como gravar da maneira como as outras pessoas estavam gravando, e eu não queria gravar da maneira como as outras pessoas estavam gravando. Eu não achava que toda aquela produção era necessária." Ele também foi econômico nas letras: "Eu tentei não usar palavras demais. Não há nenhum verso através do qual você consiga enfiar o dedo - não há espaços em branco a preencher."

Em fevereiro de 1969, Bob Dylan e Johnny Cash fizeram duas sessões de gravação juntos, no Columbia Studio A, em Nashville. "Bob me pediu para ser um convidado no disco, e eu fui ao estúdio, e eles só deixaram o gravador ligado por duas horas enquanto tocávamos", contou Cash mais tarde. A banda que acompanhou os dois incluía o pioneiro do rock Carl Perkins, que tocou guitarra em seis faixas - inclusive Matchbox, canção que ele mesmo compôs.

Em fevereiro de 1969, Bob Dylan e Johnny Cash fizeram duas sessões de gravação juntosFoto: Divulgação

Um dos registros mais interessantes das sessões é Don't Think Twice, It's Alright/Understand Your Man, em que os dois cantores e compositores homenageiam a obra um do outro. Uma performance de Dylan no The Johnny Cash Show - a primeira aparição do músico na TV em cinco anos -, um mês depois da estreia do álbum Nashville Skyline, também faz parte do material reunido em Travelin' Thru.

O primeiro disco do conjunto traz sessões feitas por Dylan no Columbia Studio A em outubro e novembro de 1967 e fevereiro de 1969, com versões alternativas de composições escritas para os trabalhos John Wesley Harding e Nashville Skyline (como All Along The Watch Tower e Lay Lady Lay); incluindo a inédita Western Road. Já os álbuns dois e três são focados nas gravações ao lado de Cash, tanto em estúdio quanto no palco, no Ryman Auditorium (em 1º de maio de 1969), para a gravação do primeiro episódio do The Johnny Cash Show (que foi ao ar na ABC em 7 de junho de 1969). O disco três inclui também faixas registradas em parceria com Earl Scruggs, lenda do banjo bluegrass, para o especial de TV Earl Scruggs: His Family and Friends, que foi ao ar em janeiro de 1971.

A "fase country" de Bob Dylan não durou muito: em Self Portrait, de 1970, sua música mudou de direção mais uma vez - o que torna o 15º volume da Bootleg Series ainda mais interessante.

Matérias Relacionadas