Pensando Sobre Games: 20 anos do Gamecube

23.09.2021 | 08h00
Joana Caldas
Por Joana Caldas
Nintendo Gamecube

BLOG

Universo Compartilhado

Qual o seu jogo favorito do quarto videogame de mesa da Nintendo?

Em 14 de setembro de 2001, saía no Japão o Gamecube, console de 128 bit da Nintendo. O cubo (ou fogãozinho, como dizia minha mãe) teve muitos exclusivos, alguns dos quais infelizmente estão presos a ele até hoje.

A minha história com o Gamecube não é das mais próximas. Quando tinha um, estava na fase da minha vida em que menos tive tempo para jogar videogames. O final do ensino médio e o vestibular obrigam você a estudar bastante (e vale muitíssimo a pena fazer isso para entrar numa universidade bacana).

O Gamecube no Brasil também trouxe tendências ruins que andam se repetindo hoje em dia. O videogame em si era caro. Foi o primeiro que vi feito por uma das empresas mais populares sendo vendido a mais de R$ 1 mil. Os jogos custavam R$ 250 cada um. Ou seja, sua biblioteca pessoal não ia crescer muito. Promoção? Desconto? Não me lembro de ter isso não.

Mas aquela época tinha uma vantagem bem legal: havia locadoras! E assim fui conhecendo o pouco que sei da biblioteca do Gamecube. Até que a minha locadora favorita deixou o cubo de lado e vendeu os jogos que tinha dele.

Apesar desses obstáculos, eu sempre quis o Gamecube. Depois de jogar Zelda Ocarina of Time e Majora’s Mask no Nintendo 64, decidi que não podia ficar sem o próximo Zelda, então tinha que continuar com a Nintendo. Eu não tenho mais meu Gamecube, mas sigo apreciando os games dele pela retrocompatibilidade no Wii.

Então vamos relembrar alguns jogos? Vou listar alguns dos meus favoritos, para você depois fazer a sua própria lista. Ironicamente, vou deixar de fora os dois Zeldas 3D que foram lançados no console, porque acho que atualmente é melhor jogá-los no Wii U.

Crazy Taxi

Dos títulos iniciais do Gamecube, o que eu queria mesmo era o Crazy Taxi. Esse jogo é o meu game de fliperama (melhor dizer arcade, talvez) favorito e poderia agora jogá-lo sem me preocupar em gastar fichas. Crazy Taxi, feito pela querida Sega, é um game de corrida bem pouco realista em que você precisa pegar passageiros e levá-los onde eles querem. Simples assim. Quantos mais imprudências malucas você fizer, maior sua gorjeta. É fácil achar este título hoje em dia. Tem na loja Steam, do PC, e nos celulares. Também foi lançado na Xbox Live e PSN, nos tempos do Xbox 360 e PS3, no PS2 e no Dreamcast.

Dos títulos iniciais do Gamecube, o que eu queria mesmo era o "Crazy Taxi"Sega/Divulgação

Starfox Adventures

Conhecido antes como Dinosaur Planet, este título foi o último da Rare para a Nintendo. A turma do Starfox foi colocada dentro de um jogo que a Rare já estava fazendo e, por isso, ele não segue a fórmula consagrada de games de nave da turma da raposa. Este título é no estilo de Zelda Ocarina of Time e, entre os planetas, há partes em que você controla a nave, no jeitão Starfox de ser. Se você gosta de Ocarina of Time, recomendo fortemente este.

A turma do Starfox foi colocada dentro de um jogo que a Rare já estava fazendo e, por isso, ele não segue a fórmula consagrada de games de nave da turma da raposaJoana Caldas

Metroid Prime

Confesso que não sou a maior fã das aventuras 3D da Samus, já que elas também são em primeira pessoa, e eu sempre preferi terceira pessoa. Mas é inegável o quanto este game é uma obra-prima. Ele não é um jogo de tiro, mas de aventura. Se você gosta de títulos em primeira pessoa, precisa jogar esta série.

Super Smash Bros. Melee

Se a franquia começou no Nintendo 64, foi aqui que ela começou a brilhar muito. Mais lutadores, um modo de aventura, com fases em 2D, e gráficos lindos fazem este jogo ser muito superior ao primeiro. Há quem ache este o melhor da série. E quem jogue Smash Bros. até hoje com o controle do Gamecube. Neste último grupo, eu me encaixo.

Mario Kart Double Dash!! 

Mario Kart é sempre uma boa. Este teve uma sacada muito legal: são dois personagens em cada veículo! Dependendo de quem você escolher, tem mais chance de ganhar um determinado item. Minha dupla era o Diddy Kong e o Paratroopa. Quando eu estava atrás, o Diddy dirigia e daí eu tinha mais chances de ganhar cascos vermelhos com o Paratroopa. Quando eu estava na frente, o macaco me dava mais possibilidades de receber bananas para jogar nos adversários.

Eternal Darkness: Sanity’s Requiem

Este só joguei uma vez, quando aluguei na locadora. É um terror de sobrevivência muito louco em que a sua sanidade vai baixando. E se ela baixar muito, o seu personagem começa a ter alucinações. Preciso jogar mais. Encontrei este ano uma pessoa que não manja muito de preços de games retrô vendendo este título completinho, com manual e tudo, por um valor bem abaixo do normal e agora estou com ele.

Se deixei de fora o seu favorito, não fique triste! Faltou espaço, porque eu, falando de jogos, nunca paro. Então vão aqui mais alguns dos muitos destaques do Cubo: 1080° Avalanche, F-Zero GX, The Legend of Zelda: Ocarina of Time Master Quest, Luigi’s Mansion, Mario Party 4 a 7, Metal Gear Solid: The Twin Snakes, Paper Mario: The Thousand-Year Door, Pikmin, Pokémon Colosseum, série Resident Evil, Skies of Arcadia Legends, Soulcalibur II, Star Wars Rogue Squadron II: Rogue Leader, TimeSplitters 2 e Viewtiful Joe.

Matérias Relacionadas