Pensando sobre Games: Pokémon Legends Arceus é o jogo de mundo aberto que estamos esperando?

11.03.2021 | 08h00
Joana Caldas
Por Joana Caldas
Pokémon Legends Arceus

BLOG

Universo Compartilhado

Trailer mostra o game que a Joana adolescente queria nos tempos do Gamecube.

Não esperava nada dos 25 anos de Pokémon. Afinal, nem sou muito fã da série. Porém, o trailer de Legends Arceus me prendeu. E bastante. Este é o jogo que eu queria nos tempos do Gamecube.

Eu tinha uns 12 anos quando Pokémon estourou. Teve o game e o desenho na TV. Eu tinha um Game Boy clássico, o tijolão mesmo, e Pokémon Azul. Foi um prazer jogá-lo. É um game absolutamente incrível para um sistema 8-bits que nem cor tinha. As músicas são ótimas, os cenários e monstros são muito variados. Um dos melhores jogos do Game Boy? Com certeza.

Pokémon AzulReprodução

Assistia também ao desenho e tinha um pôster no meu quarto com os 151 monstros. Corria para vê-lo quando a TV perguntava no intervalo do desenho “quem é este pokémon?”. Mas não continuei jogando a série.

Para você se dar muito bem em Pokémon, precisa conhecer todos os monstros e os respectivos tipos deles. Claro, você pode conhecê-los na prática, vendo-os pela primeira vez no jogo. Mas se quiser arrasar, creio que você precise colocar no seu HD interno cerebral o nome de 151 criaturas. Porém, não parou por aí.

Com Pokémon Ouro e Prata, vieram mais 100 novos monstros. E a Joana, que curtiu também Pokémon Stadium e Pokémon Snap, ambos no Nintendo 64, não quis decorar mais uma centena de nomes e tipos.

BulbasauroJoana Caldas/Arquivo pessoal

Abandonei a série. Contudo, não por completo. Sempre que anunciavam um novo jogo, eu via as informações nas revistas. Alguns pareciam promissores, como o Pokémon Colosseum e Pokémon XD Gale of Darkness, ambos para Gamecube. Creio que o Gale of Darkness foi o que experimentei. Mas não era ainda o que eu queria. Este ainda tinha a visão meio de cima e os combates eram iguais ao de Pokémon Stadium, com aquele monte de menus e visão diferente para as batalhas, como se elas ocorressem em outra dimensão, e não onde os personagens estavam. Parecia um jogo do Game Boy com gráficos turbinados.

Entretanto, o que eu queria naquela época é tipo o que foi mostrado no trailer do Pokémon Legends Arceus. O seu personagem andando livremente, jogando uma pokébola sem precisar ir para uma tela diferente em outra dimensão. As batalhas ocorrendo ali na sua frente. Porque seria assim se o mundo de Pokémon fosse de verdade, né?

Eu adoro jogos de ação em terceira pessoa e me empolgou muito esse trailer. Claro que, na minha experiência como gamer, é sempre melhor esperar como vai ficar do que se iludir na hype. Mas o game já está anotado aqui no meu coração para conferir o resultado final.

Apesar de ter parado de jogar a série principal, de vez em quando checo um título de Pokémon. Até peguei o remake SoulSilver para ver qual é. Cheguei ao final, mas não gostei muito não. Vi também o Pokémon Go nos celulares de amigos, já que o meu nem conseguia rodar o jogo de tão velhinho. Mas, em vez de um novo telefone, comprei um Nintendo 2DS para curtir Pokémon Rumble World e Pokémon Shuffle. E valeu muito a pena.

Torço para que o Pokémon Legends Arceus valha também. O jogo está previsto para os primeiros meses de 2022.

Matérias Relacionadas