Pensando Sobre Games: videogames estão caros demais?

27.05.2021 | 08h05
Joana Caldas
Por Joana Caldas
The Last of Us

BLOG

Universo Compartilhado

Jogos eletrônicos sempre foram artigos de luxo, mas os valores atuais andam bem salgados

Esses dias, deixei escapar das minhas mãos um Playstation 5 novinho. Estava fazendo uma busca na internet e apareceu uma daquelas propagandas de sempre, de uma famosa loja de departamentos. Eu cliquei e lá estava ele, com preço sugerido pelo fabricante, não por cambista. Só não consegui descobrir se era o modelo com ou sem disco. Mas, pelo valor, era com disco.

Depois de ler tanto sobre o quanto está difícil conseguir um PS5, o meu coração até acelerou. Porém, não apertei no botão “comprar”. Mesmo que você economize alguns meses para levar um Playstation 5, ainda vai precisar comprar jogos. E como eles estão caros!

O que mais me chamou atenção no novo videogame da Sony até agora foi o Returnal. Ele me lembra um pouco do Metroid, uma mulher astronauta viajando sozinha pelo espaço. Contudo, os jogos são muito diferentes e o Returnal é focado em tiro em terceira pessoa. Na verdade, não sei se eu iria gostar, mas achei a atmosfera e trailers muito interessantes.

O que mais me chamou atenção no novo videogame da Sony até agora foi o "Returnal"Sony Interactive Entertainment/Divulgação

Porém, ele custa R$ 349,90 na loja digital do Playstation. Já vi na internet em disco por quase R$ 300. Muito caro para algo que não sei se vou gostar.

Eu não sou economista e não sei todos os fatores que fazem com que os preços estejam assim. Este não é um texto de reclamação, mas de constatação. Estou aqui como jogadora para refletir com você este meu sentimento de que está bem difícil comprar alguns jogos atualmente.

Nem posso falar muito porque meu videogame favorito é o Switch. E se tem uma coisa que a Nintendo raramente faz é baixar o preço dos preciosos jogos feitos por ela. Se você comprou o Zelda Breath of the Wild em 2017, quando ele saiu, na caixa, vai pagar o mesmo preço por ele quatro anos depois. No Brasil, pode até ser que esteja mais caro por causa da alta do dólar, ou algo assim.

Tenho quase certeza que uns três amigos meus teriam um Switch se não fosse pelo preço dos jogos. Eu mesma teria muito mais games do console da Nintendo. O Luigi’s Mansion 3 é um que eu queria jogar, mas não pelo preço de quase R$ 300 que vejo por aí.

No Xbox, infelizmente também não é muito diferente. O título mais esperado por mim em 2021 já saiu, a remasterização da trilogia de RPG Mass Effect. Nunca joguei os games originais e acho que esta é uma bela oportunidade para finalmente controlar a comandante Shepard. Mas por R$ 300? E é um jogo da geração anterior, do Xbox One/PS4!

A maioria dos meu games de Xbox One e PS4 paguei até R$ 45. Usados, claro. Mas para alguém vendê-los por esse valor, o preço original não devia estar tão alto.

Como apaixonada por videogames, eu gostaria de fazer na próxima geração o mesmo que fiz nesta anterior: ter um console de cada fabricante. Entretanto, para fazer isso é preciso que os jogos custem menos.

Até games do PS4 que já estão ficando velhos estão caros! The Last of Us 2, que saiu há quase um ano, está R$ 299,90 na loja digital do Playstation. Mesmo o disco usado ainda está caro para o meu gosto.

Dessa forma, a gente vai perdendo a inocência e ficando menos exigente.

Assim, da Joana que queria super gráficos, agora tem a Joana jogando um game lindo como Detroit Become Human num PS4 base com barulho de ventilador. Da Joana que ia jogar The Last of Us 2 para a Joana que vai preferir um outro título velho que já tinha na coleção. Da Joana que queria um Xbox Série X pra ontem com The Medium para a Joana que talvez espere até o final do ano para ver se os preços melhoram.

Não sei se você sente o mesmo que eu em relação a isso tudo. Mas torçamos para que a situação mude e possamos voltar a comprar jogos usados por R$ 45.

Matérias Relacionadas