Playing For Change apresenta nova versão de clássico dos Wailers

03.01.2020 | 16h45 - Atualizada em: 04.01.2020 | 22h47
Leo Almeida
Por Leo Almeida
PFCTW01divulgação

BLOG

Giramundo

O último vídeo de 2019 do projeto Playing For Change (PFC) é uma versão de "Soul Rebel" dos Wailers. A produção apresenta Bunny Wailer, Bushman e Manu Chao e outros músicos ao redor do mundo.

Integrante da formação original do The Wailers, juntamente com Bob Marley e Peter Tosh, mais conhecido no meio artístico como Bunny Wailer, está atualmente trabalhando em um novo projeto, que ele espera lançar em fevereiro de 2020, para encerrar significativamente o mês do reggae. Bunny está produzindo um EP em homenagem ao 50º aniversário do inovador álbum de 1970 dos Wailers, "Soul Rebels", o primeiro registro para o mercado internacional lançado pelo grupo. O ponto de partida desta ideia foi a regravação do destaque do disco, a música 'Soul Rebel', em parceria com o Playing For Change (PFC) e um videoclipe lançado no final de 2019.

BWPFC01Imagem:divulgação

Originalmente, a faixa 'Soul Rebel' faz parte do segundo álbum de estúdio do grupo The Wailers, intitulado "Soul Rebels". O disco saiu pelo selo 'Trojan Records' em 1970, é o primeiro trabalho do The Wailers produzido para o mercado internacional. A gravação foi registrada no Randy's Studio em Kingston, Jamaica. Posteriormente, o disco foi relançado em momentos diferentes e com outros rótulos. A edição de 2002, disponível em CD e DVD-Audio, contém um grande número de faixas bônus.

No começo da década de 1960, Peter Tosh, Bob Marley e Bunny Wailer, formaram o Wailing Wailers. Escolheram este nome para a banda porque diziam que, ao nascer no gueto, cresciam a lamentar, e "wail" significa "lamentar". O novo grupo tinha um mentor: o percussionista rastafári chamado Alvin Patterson, que apresentou os garotos para o produtor Coxsone Dodd. No verão de 1963, Coxsone ouviu o som do trio e, satisfeito, resolveu gravá-los. Os Wailing Wailers finalizaram seu primeiro single, "Simmer Down" através do selo de Coxsone, durante as últimas semanas de 1963. Já em janeiro do ano seguinte a música era a primeira nas paradas jamaicanas, e se manteve nesta posição durante dois meses. Bob, Bunny e Peter juntamente com outro cantor, Junior Braithwaite e mais duas backing vocals, Berverly Kelso e Cherry Smith, eram a grande novidade no cenário jamaicano. "Simmer Down" fez um enorme sucesso na ilha e os Wailing Wailers começaram a gravar com regularidade para o lendário "Studio One" de Coxsone Dodd. O grupo então criava novos temas identificando-se com jovens das ruas de Kingston. A música jamaicana finalmente tinha uma identidade e alguém que falava a mais pura linguagem do gueto.

Nos anos seguintes, a banda colocou mais alguns hits nas paradas da ilha, o que estabeleceu sua popularidade mas, apesar disto eles passavam por dificuldades econômicas. Além disso, a mãe de Bob havia se casado novamente e mudou-se para Delaware, nos Estados Unidos, onde juntou algum dinheiro para mandar uma passagem de avião para o jovem Marley, naquela altura com 20 anos.

Depois de passar uma temporada nos Estados Unidos com sua mãe em 1966, Marley retornou para a Jamaica e os três (Bob, Peter e Bunny) passaram a se envolver com a religião rastafári, mudando o nome da banda para The Wailers.

TW02Imagem: divulgação

Os Wailers se separaram em 1974 e todos os três membros começaram suas carreiras solo. Bob Marley ganhou fama e popularidade mundial como 'Bob Marley & The Wailers' - ao lado de seus colaboradores 'The Wailers Band' e o trio feminino 'I Threes'. Peter Tosh também teve bastante sucesso internacional, enquanto Bunny Wailer permaneceu na Jamaica.

Depois de deixar o grupo, Bunny fixou-se mais em seus princípios espirituais. Assim como os outros Wailers, ele era um rasta declarado. Produziu alguns álbuns, além de compor e regravar a maioria do material do catálogo dos Wailers. Agora, tantos anos depois, o membro sobrevivente reaparece como convidado especial do incrível projeto Playing For Change para recriar a clássica 'Soul Rebel' e fazer parte da gigantesca família do 'PFC - Songs Around The World', movimento criado para inspirar e conectar o mundo através da música, nascido da crença compartilhada de que a música tem o poder de romper fronteiras e superar distâncias entre as pessoas.

Matérias Relacionadas