XX: Filme com 4 contos de terror sob ponto de vista feminino chega à Netflix

22.06.2020 | 06h04 - Atualizada em: 30.06.2020 | 09h15
Leonardo Souza
Por Leonardo Souza
XX1 imagem divulgação

BLOG

Universo Compartilhado

A antologia de terror, "XX", apresenta quatro contos de diferentes diretoras, cada um com sua própria atmosfera.

Apesar de trazer temas típicos do terror mainstream, a perspectiva feminina faz toda a diferença em XX, principalmente na estética. Embalado pelas animações de Sofia Carillo, o tom melancólico não abandona a tela e cada transição sugere o quão visceral a produção pode ser.

Esta primeira antologia de terror dirigida só por mulheres começa com uma história inspirada no conto de um escritor chamado Jack Ketchum. Ele surgiu na cena do terror nos anos 1980 e começo dos 1990, Stephen King o chama de 'o cara mais assustador da América'. Jovanka Vuckovic adapta o conto "The Box", uma representação assustadora de horror psicológico. Uma família vivencia um pesadelo quando o filho mais novo passa a ter um comportamento estranho após observar o conteúdo de uma caixa. A situação parece piorar conforme o garoto compartilha o segredo com a irmã e seu pai. 

A cantora Annie Clark dirige "The Birthday Party", estrelando Melanie Lynskey como uma mãe tentando esconder o corpo do marido durante o aniversário da filha. Preocupada com os preparativos da festa, Mary precisa fazer o impossível para conseguir lidar com o terrível episódio, a fim de que a ocasião não seja cancelada.

"Don't Fall", dirigido por Roxanne Benjamin, mostra quatro amigos que viajam para uma região montanhosa e são surpreendidos por uma aparição maligna ancestral, sedenta por sangue. Um conto de terror, com influência dos filmes italianos da década de 1970 e 1980.

O último conto traz a mais experiente das diretoras para entregar a história final. Karyn Kusama (“Garota Infernal”) apresenta, em “Her Only Living Son”, a trajetória de uma mãe que passou a vida tentando esconder o passado de seu filho, porém conforme o aniversário de 18 anos se aproxima, o garoto começa a apresentar um comportamento cada vez mais estranho, uma clara homenagem ao clássico "O Bebê de Rosemary". 

O filme conta de modo geral como as mulheres estão mais propensas a aceitarem sacrifícios por aqueles que amam – principalmente enquanto mães. Através de situações extremas, cada personagem se desdobra de alguma forma, evidenciando a capacidade das diretoras de falar sobre os medos e horrores do universo feminino sem romantizá-los.

Matérias Relacionadas