Pensando Sobre Games: olá, eu sou a Joana

03.09.2020 | 09h44
 Joana Caldas
Por Joana Caldas
Repórter do G1/SC e editora do blog Pensando Sobre Games
Todos os consoles têm algo legal para oferecer

BLOG

Universo Compartilhado

Olá, eu sou a Joana. Escrevi isso tudo aqui para você saber quem está falando contigo, com quem você está lidando

Eu comecei a jogar videogame com uns quatro anos (hoje tenho 34). Lá em casa os meus pais tinham um Atari 2600 com os jogos de sempre: River Raid, Enduro, Pitfall, etc. O meu favorito é um dos que não ficaram famosos: Snoopy and the Red Baron. Neste game você controla o Snoopy sentado em sua casinha e tem que abater aviões da Primeira Guerra Mundial. Faz tanto sentido quanto o desenho. Depois de serem destruídos, os tais aviões viram comida, que você coletava para ganhar pontos, ou veneno e outras coisas ruins, das quais você deveria desviar. De tempos e tempos, o jogo mostrava a sua pontuação.

Sonic é meu herói de infânciaAcervo pessoal

Um dia meus pais foram visitar uns amigos deles e o filho desse casal tinha um Mega Drive. Imagine sair dos gráficos do Atari direto para um Mega Drive! Claro que fiquei encantada. O jogo que ele estava jogando era o Toejam & Earl.

Num desses Natais veio meu Mega Drive japonês, com botão reset azul. Dois jogos: o Fighting Masters, de luta, e o Fatal Rewind, que depois troquei. É um de ação bem esquecível. Meu terceiro game, tempos depois, foi o Toejam & Earl e o quarto, o primeiro Sonic the Hedgehog, que virou minha saga favorita.

Quando já não se lançavam jogos para o Mega Drive, eu queria um Super Nintendo. Tinha vários amigos que tinham um e adorava o Super Mario. Mas o meu favorito mesmo era o Donkey Kong Country, com aqueles gráficos maravilhosos. Na loja em que fomos, o dono me convenceu que o Nintendo 64 era a melhor escolha. Foi só me colocar para jogar Starfox 64.

O Nintendo 64 foi meu videogame favorito. Era uma época que eu tinha tempo para jogar, tinha uns 12 anos. E teve o Zelda Ocarina of Time. Desde então, eu sempre tenho o console principal da Nintendo porque não posso ficar sem o Zelda mais recente!

Zelda e Starfox: duas das minhas franquias favoritasAcervo pessoal

No finalzinho do ciclo do Wii, eu troquei meus videogames antigos (o Mega, o N64 e o Gamecube) por um Playstation 3. Sim, um péssimo negócio, mas eu queria um PS3 para jogar Red Dead Redemption, jogo que até hoje não joguei. E foi legal não ficar de fora da geração. Até porque os jogos que saíam no Wii eram bem diferentes dos que tinham nos consoles HD. Quando comecei em um novo trabalho, trouxe o Xbox 360 para a minha coleção.

Gostei de ter todos os consoles. Se esperar promoção, comprar jogo usado, etc, até dá para ter todos. Desde que você escolha o seu videogame principal para investir em games e controles extras (o meu é sempre o da Nintendo). Atualmente estou com o Switch, o PS4 modelo original e o Xbox One X. E fiquei com o Wii, o Wii U, o 2DS, o DS Lite e o PS3. De portáteis, também já tive o Game Boy original com Pokémon Azul e o Game Boy Advance.

Não sei se continuarei a ter todos os consoles na próxima geração. Falta tempo para tanto jogo. Mas sempre vou achar uma promoção...

Matérias Relacionadas