10 mulheres que deveriam estar no Hall da Fama do Rock

27.01.2020 | 20h05 - Atualizada em: 28.01.2020 | 10h29
Lívia Fernandes
Por Lívia Fernandes
Estagiária
Dolly Parton

BLOG

Let It Rock

Cantoras e compositoras representam menos de 8% dos indicados no Hall da Fama

O Hall da Fama do Rock é uma instituição e museu localizado em Cleveland, Ohio, que, assim como o nome sugere, registra a história dos artistas e produtores mais conhecidos e influentes da história da música. A lista dos indicados de 2020 ao Hall da Fama saiu no último dia 15, e a única mulher homenageada neste ano é Whitney Houston. Seria surpreendente se já não fosse comum: apenas 8% dos nomes no Hall da Fama do Rock são de mulheres, e não por falta de artistas qualificadas na cena do rock mundial. 

O site NRP publicou uma lista com 41 nomes de mulheres que deveriam estar no Hall da Fama do Rock - e nós separamos dez delas para você conhecer. Confira: 

Barbra Streisand: Estrela dos palcos, Barbra Steisand é conhecida mundialmente e uma das poucas estrelas do show business a conquistar prêmios em diversas áreas da arte: Grammy (música; 15), Emmy (televisão; 6), Oscar (cinema; 2) e Tony (teatro; 1).  

Dolly Parton: Multi-instrumentista, cantora, compositora e produtora, Dolly Parton é a dona do hit Jolene, música que já foi regravada inúmeras vezes por outros grandes artistas, e que até hoje é um hino da música country.   

Astrud Gilberto: Cantora de bossa nova e jazz brasileira, é conhecida no mundo inteiro por sua voz e talento. Astrud Gilberto fez sucesso com o seu trabalho na canção The Girl from Ipanema, que a tornou mundialmente conhecida e reconhecida. Astrud tem uma música com o seu nome, tributo feita pela cantora polaca Basia. 

The Runaways: A banda começou nos anos 1970 e ficou famosa, na época, por ser uma banda de hard rock composta apenas por mulheres. Até hoje, as músicas Cherry Bomb, Queens of Noise e Born to be Bad são vistas como hinos do rock. Joan Jett, que fez parte da banda, já está no Hall da Fama do Rock por sua carreira solo. 

Björk: A artista de mil faces, Björk é conhecida por “fazer diferente”. A cantora é eclética e mergulha em diversos gêneros musicais, assim como em diversos estilos e conceitos para compor seus shows e álbuns. Foi indicada a 13 prêmios Grammy, um Oscar e dois Globos de Ouro. 

The Weather Girls: O “girls group” alcançou sucesso instantâneo com o hit It's Raining Men, em 1982. O single vendeu mais de 6 milhões de cópias ao redor do mundo. 

Annie Lennox: Annie Lennox é um dos maiores ícones femininos da música. Sua carreira brilhante começou com a banda Eurythmics e continuou em sua carreira solo. Entrou para história com a música Sweet Dreams (Are Made of This)

Cyndi Lauper: Seu nome já apareceu duas vezes entre os candidatos ao Hall da Fama do Rock, mas ela ainda não foi oficialmente nomeada. A primeira vez foi pelo álbum She's So Unusual, de 1983, que entrou para a lista dos "500 Melhores Álbuns de Todos os Tempos" da revista Rolling Stone. A segunda, por sua canção Girls Just Want to Have Fun, que conquistou três discos de ouro e dois de platina e está na 120ª posição da lista "500 Músicas que Moldaram o Rock N’ Roll", organizada pelo próprio Hall da Fama do Rock.  

Salt-N-Pepa: O trio de rap e hip-hop feminino, de 1985, vendeu mais de um milhão de cópias em todo o mundo, com o seu álbum Hot, Cool & Vicious, que também concedeu ao grupo a honra de ser a primeira banda de rap a conseguir uma certificação de ouro e platina. 

Mariah Carey: Estrela do pop desde o começo dos anos 1990, Mariah Carey é a primeira artista a encabeçar o ranking da Billboard em quatro décadas diferentes. Mariah consolidou o melisma (técnica vocal com várias notas para uma mesma sílaba) e é reconhecida não só como cantora, mas também como compositora e produtora. 

Estas são apenas algumas das mulheres que poderiam - ou deveriam - estar no Hall da Fama do Rock. Confira a lista completa no site da NRP.

Matérias Relacionadas